segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Amigos a quem digo AMO-TE

Falemos de relacionamentos. Só o facto de a palavra ter mais de duas sílabas já demonstra a sua complexidade. As vezes parece fácil relacionar com alguém, temos o conceito que basta um “olá, tudo bem?” com um sorriso. Mas não é bem assim, relacionar é muito mais de que sorrir e perguntar se esta tudo bem esperando que a pessoa diga sempre que sim para a conversa não leve um rumo algo secante para nós. Por vezes relacionamos por interesse e não por sermos pessoas afáveis e amigáveis. Eu falo por mim quando me dizem “Tu és uma pessoa tão sociável?” E eu penso será? Tanta gente que eu conheço, tanta gente a quem fui apresentada, tanta gente que ouviu falar de mim e eu nem sequer conheço, mas realidade é que desses vamos supor trezentos, apenas duzentos eu falo e pergunto como estão. E desses duzentos apenas cento e cinquenta eu sou capaz de ter periódicas conversas, algumas até engraçadas mas contribuição relevante para a minha vida. Depois sou sincera apenas um grupo singelo de dez a quinze pessoas eu falo abertamente e tentar apoio moral, espiritual e considero até verdadeiros amigos. Também não é mentira nenhuma que não faço escolhas para melhores amigos pois até esses comentem falhas inexplicáveis por isso fico-me por apenas três a quatro amigos inseparáveis.
Amigos a quem eu digo AMO-TE!